A lição do Jovem Santo Expedito: não deixe para amanhã o que deve ser feito HOJE

  • dia 1 de junho de 2020

A lição do Jovem Santo Expedito: não deixe para amanhã o que deve ser feito HOJE

Santo Expedito é muito popular, mas nem todos os fiéis atentam para a mensagem central de sua vida: não deixe para amanhã a mudança de vida que você deve fazer HOJE!

Ele foi um militar que viveu no século IV, e comandava uma legião de soldados do Império Romano. Ao conhecer a Boa Nova, desejou se converter, mas ficava adiando indefinidamente seu “sim” a Cristo. Afinal, ele sabia que se tornar cristão poderia lhe colocar em uma situação altamente perigosa, então sempre se abraçava a alguma desculpa para deixar esse passo para depois.

Finalmente, chegou o dia em que Expedito teve a coragem de vencer a tentação. Essa vitória foi simbolicamente representada, em sua iconografia, da seguinte forma:

  • um corvo emitindo o seu típico grasnido – CRAS, que em latim significa AMANHÃ. Representa Satanás sugerindo continuamente que Expedito deixasse sua conversão para o futuro;
  • o santo pisa no corvo, mostrando que venceu a tentação;
  • o santo ergue a cruz, que exibe a palavra HODIE – que significa HOJE.

Seguir o exemplo de Santo Expedito pode ser o fator decisivo entre a nossa salvação e a nossa condenação eterna. Quantas vezes nossa consciência nos acusa de algum erro, mas pensamos: “Sei que tenho que mudar isso, mas hoje não dá por isso e por aquilo. Quando a situação ficar mais favorável eu tomarei essa atitude”.

A tentação de adiar a conversão também foi sofrida por Santo Agostinho, como ele mesmo revelou:

Mas eu, adolescente desventurado em extremo, tinha chegado a pedir-te a castidade dizendo: “Dai-me a castidade e a continência, mas não agora.”

– Confissões. VII, 7, 17

Há dois grandes problemas nisso: 1) quanto mais tempo permanecemos no pecado, mais acumulamos males e culpas, cujas penas geradas teremos que pagar até “o último centavo” (Mt 5,26); 2) o amanhã não existe, e não passa de uma possibilidade. Só temos o “hoje” para dizer sim ou não a Jesus. A verdade é que nem sabemos se estaremos vivos amanhã!

Multidões de jovens saudáveis morrem todos os dias no mundo. E como está escrito nos Evangelhos, o Supremo Juiz virá a nós como um ladrão, de surpresa, no dia em que menos esperarmos (Mt 24,32-34).

Ao falar em conversão, não estamos simplesmente nos referindo à decisão de se declarar católico, mas sim de viver o cristianismo em espírito e verdade, em todos os aspectos da nossa existência – sem deixar nada, nada de fora.

Se nos dizemos católicos e, de forma consciente, não deixamos que Cristo toque em algo da nossa vida, passamos cada vez mais a viver uma vida dupla, como alerta o Papa Francisco:

“A vida dupla provém do seguir as paixões do coração, os pecados mortais que são as feridas do pecado original. (…)

“A todos nós, a cada um de nós, fará bem, hoje, pensar se há algo de vida dupla em nós, de parecer justos. Parecer bons fiéis, bons católicos, mas por baixo fazer outra coisa; se há algo de vida dupla, se há uma confiança excessiva: O Senhor me perdoará tudo. Então, continuo. Ok! Isso não é bom. Irei me converter, mas hoje não! Amanhã. Pensemos nisso. Aproveitemos da Palavra do Senhor e pensemos que o Senhor nisso é muito duro. O escândalo destrói.”

– Papa Francisco. Homilia na Casa de Santa Marta. 23/02/2017

Santo Expedito, nos ajude a vencer a tentação de adiar a nossa conversão. Enche nosso coração de amor e coragem, ilumine a nossa inteligência, para que possamos rejeitar as artimanhas do Maligno. Amém!

 

Fonte: Do Site “O Catequista”

PRÓXIMO EVENTO
PUBLICIDADE