• dia 27 de janeiro de 2020

O Silêncio nos leva para Deus

Não esqueço uma certa vez que minha turma do seminário fomos visitar o mosteiro das Irmãs Clarissas em Nova Iguaçu. Fiquei admirado com o clima de recolhimento e o silencio que pairava sobre aquele lugar. Um clima que nos chamava para a oração e intimidade com Deus. Mais admirado ainda fiquei quando um de nossos seminaristas perguntou para a Madre superiora do mosteiro: irmã, Deus fala mesmo no silêncio? E a resposta da irmã foi categórica e nos decepcionou num primeiro momento. Ela disse: ” Meu filho, Deus não fala no silencio…” Mas depois de alguns segundos ela sorriu e disse: ” Deus grita no silencio, só não escuta quem não quer”. Que grande lição vinda de irmãs de Clausura, consagradas na vida contemplativa pela oração, pelo silencio, pelo recolhimento do mundo e pela penitência. Precisamos sim de silencio para escutarmos e discernirmos melhor os apelos de Deus em nossa vida. Este Deus que nos fala por sua Palavra revelada(Biblia Sagrada), nos fala pela voz da Igreja na pessoa de nosso Papa, nossos bispos e demais pastores, nos fala nos acontecimentos da história, nos fala atraves de pessoas e tambem nos fala ao coração atraves de boas inspirações e propósitos.

O mundo de hoje vive e nos instiga a viver numa cultura de barulho e numa agitação constante na correria pelos bens materiais e pelas necessidades imediatas do corpo. O mundo não nos ajuda em nada a fazermos silencio para termos uma vida mais reflexiva pensando em nossos atos com mais profundidade e uma vida de maior intimidade com Deus. Sem silêncio, sem buscarmos em alguns momentos o recolhimento, a oração e a meditação, seremos superficiais na maneira de ver a vida e seremos surdos aos apelos de Deus. E não pensemos que somente nos mosteiros é possivel vivermos em silencio. Dentro dos mosteiros tambem existem os ruídos que atrapalham. Os ruídos dos pensamentos, sentimentos e agitações interiores. É claro que, em relação ao silencio exterior, os mosteiros ajudam em muito, mas o grande desafio é chegar ao silencio interior de nossa alma. Aprendermos a quietar nosso coração na presença de Deus, aprendermos a repousar em Deus e em seu coração como o discipulo amado na Ultima ceia que se encostou no peito de Jesus e alí ficou calmo, tranquilo, escutando as batidas do coração de Jesus.
Aqui estão algumas dicas para cultivarmos uma vida de silencio e verdadeira comunhão com Deus:

1- O silencio exterior – Sem a busca de um silencio exterior jamais chegaremos ao silencio interior. Por isso a importancia de termos um lugar de recolhimento em nossa casa para nos recolhermos ao menos uns trinta minutos diarios, sem conversas, passagem de pessoas, gente conversando conosco, sem TV e radios ligados;
2- Ser fiel à esses trinta minutos de oraçao na presença de Deus até o ultimo minuto;
3- escolher o que vai rezar: o evangelho do dia, um outro texto biblico não longo demais, uma leitura espiritual de um bom livro catolico;
4- Ler e meditar. Quando leio, entro no texto e quando medito, busco tirar a mensagem que Deus quer me falar através da leitura;
5- Transformar minha meditação em oração e dialogo com Deus a partir do que entendi do texto lido e meditado.
6- É sempre bom terminar nossa oração assumindo um propósito de conversão e rezar algum salmo do salterio ou mesmo o salmo do dia. Pois os salmos são uma verdadeira escola de oração para nós.

Essas dicas fazem parte da chamada Lectio divina ou leitura orante. E pode ser feita em qualquer lugar onde podemos estar recolhidos por 30 min. Mas há um outro lugar privilegiado para cultivarmos o silencio interior e a intimidade com Deus: é diante do Santíssimo Sacramento no Sacrário em nossas capelas. Estar diante de Jesus no Sacrario não é ficar o tempo todo falando com ele como tagarelas ou pronunciando um monte de orações escritas. Mas é sobretudo aprender a ficar com Jesus, saboreando sua presença, olhando para ele no Sacrario, as vezes sem dizer nada, apenas ficando com Jesus e assim colheremos muitos frutos em nossa vida de fé e de comunhão com Deus.

Sem essa busca do silencio interior a cada dia, seremos pessoas superficiais, seremos cristãos superficiais, seremos cidadãos dispersos de nossos direitos e deveres. O silencio nos faz pessoas integradas conosco mesmo, com os outros e com Deus. O silencio nos faz olhar a vida com os olhos de Cristo, o silencio cura e expulsa os demônios de nossa vida. Santa Tereza Davila, mestra da oração e doutora da Igreja nos ensina que todos nós podemos entrar em nosso castelo interior e falar com Deus e adorar a Deus e escutar a Deus. Mas só consegue entrar nesse castelo interior no mais profundo de nosso ser se soubermos em nosso dia a dia cultivarmos o recolhimento e o silencio da oração.

Uma ótima dica de leitura: A força do silencio do Cardeal Sarah, editora lucerna.

PRÓXIMO EVENTO
PUBLICIDADE