As Novas Diretrizes da ação evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE)

  • dia 28 de janeiro de 2020

As Novas Diretrizes da ação evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE)

As Novas Diretrizes da ação evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE)

Documento 109 CNBB

– De quatro em quatro anos nossos bispos do Brasil reunidos em Assembleia geral elaboram as novas diretrizes da ação evangelizadora de nossa igreja. Na ultima Assembleia geral de nossos bispos em Maio do ano passado em Aparecida – SP foram elaboradas as novas diretrizes publicadas no documento 109 da CNBB, para 2019 – 2023.
– As DGAE constituem uma das expressões mais significativas da comunhão e da ação missionaria de nossa igreja no Brasil. Dessa vez as DGAE foram estruturadas a partir da Comunidade eclesial missionária apresentada com a imagem da “casa”. Casa nos lembra que a igreja deve ser o lugar onde se crie proximidade, acolhida e fraternidade entre as pessoas. Ninguem pode se sentir “estranho”, “ignorado”, “distante” e não acolhido na comunidade eclesial.
– Igreja como uma casa de portas abertas para todos, vai nos lembrar o documento 109 das DGAE, mas não para que fiquemos acomodados e sim para que sejamos cada vez mais uma “Igreja em Saída” para a missão, para irmos de encontro aos mais sofredores e afastados, como é o firme desejo de nosso Papa Francisco.
– Igreja – Casa que acolhe, alimenta a fé de seus filhos pela Palavra, pela Eucaristia e pela caridade fraterna e depois os envia em Missão no meio do mundo nos diversos setores da sociedade. Acolhida, formação, espiritualidade, comunhão e missão são palavras chaves dentro do documento 109 da CNBB.
– A igreja como casa deve oferecer o alimento. Por isso, em relação as urgencias anteriores da DGAE em outros anos, as novas diretrizes 2019 – 2023 se alicerçam em quatro pilares, ou quatro colunas que sustentam essa casa:

* Pilar da Palavra – Iniciação a vida cristã e a animação Bíblica;

* Pilar do Pão – Liturgia e espiritualidade;

* Pilar da Caridade – Serviço à vida plena aos mais necessitados e sofredores;

* Pilar da ação missionária – estado permanente de Missão;

– Esses quatro pilares tratam-se de oferecer meios concretos para se colocar em prática a missão de Jesus no coração da Igreja. O documento 109 deixa bem claro que a igreja vive da Palavra e da Eucaristia e assim é enviada ao mundo na pessoa de cada cristão batizado e consciente de seu seguimento a Jesus para testemunhar aos outros a caridade de Cristo e o evangelho do Reino de Deus num estado permanente de Missão.
– É o alimento que nossa igreja nos oferece sempre: o pão da Palavra, o pão da Eucaristia, o pão da caridade fraterna, que nos fortalece sempre mais na fé e nos envia em missão para sermos as testemunhas de Cristo no mundo.
– O documento 109 ainda se debruça sobre o grande desafio da chamada ” Cultura Urbana” e que se coloca diante de nossa ação evangelizadora com seus pontos positivos e negativos. O individualismo, o consumismo, a crise de fé, a secularização, a perda do sentido da vida, o relativismo dos valores cristãos são alguns dos grandes desafios provocados por essa cultura urbana que nossa ação missionaria como igreja tem que enfrentar para implantarmos cada vez mais o Reino de Deus na história.
– O documento 109 termina com uma grande mensagem de Esperança nos apresentando os sinais do Cristo Ressuscitado que caminha conosco e nos ajuda com sua luz e presença em nossa missão. E depois o documento apresenta para cada um dos quatro pilares de nossa ação evangelizadora, propostas concretas para nossa missão. Muito mais do que um documento, mas se faz um verdadeiro manual de missão e uma fonte de espiritualidade missionaria para nós discipulos de Jesus. Fica a dica para adquirirem o documento azul 109 da CNBB e saborearem o riquíssimo conteúdo desse tesouro do nosso magistério. Deus abençoe você.

PRÓXIMO EVENTO
PUBLICIDADE