• dia 1 de abril de 2020

A IGREJA É A QUE MAIS AJUDA OS POBRES DURANTE O CORONAVÍRUS

Nos tempos do coronavírus, muitos se perguntam o que a Igreja está fazendo para ajudar os pobres com todas as “riquezas” e “poder” que possui. Independentemente de essa questão ser justa ou não, a realidade é que atualmente a Igreja é a que mais ajuda os pobres durante o coronavírus.

Listar todas as coisas que a Igreja está fazendo pelos pobres seria muito longo, mas vou compartilhar algumas delas abaixo.

Doações pessoais do Papa Francisco

Até agora, o papa doou 100.000 euros à Caritas Itália para apoiar o território italiano em meio à emergência que eles estão enfrentando. Ele também doou 30 respiradores para hospitais italianos e espanhóis no valor de quase um milhão de dólares!

Essas doações foram entregues por meio de esmola apostólica com o cardeal polonês Konrad Krajewski no comando.

Padres e leigos ajudando ao redor do mundo

Devemos entender que a Igreja é composta por todos aqueles que foram batizados; leigos, padres, freiras, missionários etc.

Atualmente, todos os pobres do mundo estão testemunhando como a Igreja, através de seus membros, os alcança com ajuda humanitária.

Aqui estão alguns exemplos:

Católicos promovem ação solidária com a população de rua durante pandemia

Assim como as grandes cidades do mundo, a capital do Paraná já sofre com a pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Vários casos confirmados. Mas isto não impediu a solidariedade de uma parcela da sociedade com os cidadãos em situação de rua.

Motivados pelo lema da Campanha da Fraternidade 2020, “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”, a Arquidiocese de Curitiba, na pessoa do bispo-auxiliar Dom Francisco Cota, a Pastoral do Povo de Rua e as Paróquias iniciaram ontem (27) a distribuição de lanches para as pessoas que não tem um lar e vivem nas praças e ruas curitibanas.

No primeiro dia foram entregues mais de 246 lanches e no segundo dia foram 448 para homens, mulheres e crianças. Inclusive os que tinham cães também receberam ração. O Santuário São José arrecadou 215 kits de higiene pessoal que tem: creme dental, escova, sabonete, absorvente, pente e barbeador. Destes foram distribuídas 123 kits no primeiro dia e, com novas doações, 195 no segundo dia.

Para o Padre Fábio, CR, um dos assessores arquidiocesano da Pastoral do Povo de Rua, mesmo com as dificuldades o grupo de 10 voluntários conseguiu fazer um bom trabalho. E algumas doações foram chegando de algumas paróquias, atendendo o pedido feito por Dom Francisco. “Tivemos um número considerável de irmãos em situação de rua. Cremos que este número vai aumentar e por isso buscamos mais doações e vamos nos organizar melhor. E isto vai acontecendo com o tempo”, afirma Pe. Fábio.

Ele ressaltou ainda que as equipes formadas estavam separadas umas das outras (cozinha, atendimento, separação de roupas…), seguindo as normas de higiene no combate ao coronavírus.

A atividade aconteceu no pátio da Paróquia Senhor Bom Jesus dos Perdões, no centro de Curitiba.

Religiosas produzem máscaras de proteção para ajudar a impedir a propagação do coronavírus

Os carmelitas descalços de uma cidade da Extremadura começaram a fazer máscaras em resposta a um pedido do prefeito da cidade, que será destinado ao lar de idosos e ao centro ocupacional da cidade.

ECCLESIA ) Os Carmelitas Descalços de Fuente de Cantos deixaram suas ocupações habituais para fabricar máscaras , a fim de ajudar a impedir a propagação do coronavírus , e que serão destinados à residência e ao centro ocupacional dos idosos locais . Essas 9 freiras costumam ganhar a vida costurando, fazendo ornamentos litúrgicos e outras roupas, como roupas de bebê, segundo a arquidiocese de Mérida-Badajoz.

Mas agora eles começaram a fazer máscaras a pedido da prefeita da cidade, Carmen Pagador , devido à escassez deste artigo de proteção. «Queremos colaborar com algo para aliviar essa pandemia. Além de ajudar com nossa oração , com nossa dedicação , também queremos ajudar com isso “, disseram eles.

Padre se sacrifica ao renunciar respirador para salvar a vida de alguém mais jovem

O padre italiano Giuseppe Berardelli partiu para a casa do Pai aos 72 anos depois de desistir do respirador artificial que o mantinha vivo. Era sua vontade que esse respirador fosse usado por alguém mais jovem que ele.

Don Giuseppe Berardelli foi internado no hospital Lovere por causa do coronavírus agravado pelos problemas de saúde que ele teve no ano passado.

O prefeito de Casigno, a cidade em que esse padre tinha o papel de padre, salientou que o padre Berardelli “era uma pessoa simples e direta, com grande bondade e ajuda para com todos, crentes e não crentes”.

“Era um padre que ouvia a todos, sabia ouvir, que se voltou para ele sabia que poderia contar com sua ajuda”, começa assim a memória de Clara Poli, prefeita de Fiorano, “pois Fiorano era um excelente pastor, graças a ele. Consegui abrir o Centro de Autoajuda de Don Luigi Manenti, que estava em Semonte, o que possibilitou ajudar muitas famílias e muitos retardatários, sem ele seria impossível ».

O arcebispo de Casnigo Don Giuseppe Berardelli tinha 72 anos. Nascido em 21 de agosto de 1947, ele era originalmente de Fonteno. Ordenado sacerdote em 30 de junho de 1973, sua primeira missão foi coadjutor na paróquia de San Giuseppe, na parte alta da cidade, depois em Calolzio, de 1976 a 1984. Mais tarde, tornou-se pároco de Gaverina e, em 1993, pároco. de Fiorano. Em 2006, foi nomeado arquiteto de Casnigo. 

Ele teve problemas de saúde, mas lutou com seu sorriso habitual e com a determinação daqueles que confiam em Deus. Ele morreu no hospital Lovere. Não houve funeral, mas o povo de Caserta o cumprimentou à sua maneira. Ao meio-dia de segunda-feira, 16 de março, eles olharam para a varanda de sua casa e o cumprimentaram com aplausos.

 

Por: Padre Alexandre Melo

PRÓXIMO EVENTO
PUBLICIDADE